quarta-feira, 18 de Novembro de 2009

Resenha


Esta resenha trata de um tema esquecido durante muito tempo pelos ocidentais e que hoje reassume seu papel como um dos mais valiosos recursos terapêuticos. Trata-se de medicamentos fitoterápicos. Para abordar esse assunto, o nosso grupo recorreu a várias fontes de pesquisas, visando ampliar os conhecimentos sobre as vantagens e desvantagens das plantas medicinais.
Visitamos o Centro de Medicina Alternativa –CeMA, que fica ao lado do Hospital Regional de Planaltina-DF. Além disso fizemos uso do site sitecurupira.com.br/terapias/terapia_alt_fitoterapia.htm, site da Anvisa e universia.com.br/materia/materia.jsp?id=2114.
Segundo a Anvisa, “ fitoterápicos são medicamentos obtidos a partir de plantas medicinais. Eles são obtidos empregando-se exclusivamente derivados de droga vegetal (extrato, tintura, óleo, cera, exsudato, suco, e outros).” O mercado global de medicamentos está estimado hoje em US$ 280 bilhões, dos quais cerca de US$ 14 bilhões referem-se a medicamentos fitoterápicos.
Segundo dados da Anvisa, alguns fitoterápicos podem auxiliar nas patologias mais diversas. Desde o tratamento de uma azia ou má digestão, até em problemas de vesícula. Quando utilizados de maneira adequada, os fitoterápicos apresentam efeitos terapêuticos, às vezes, superiores aos dos medicamentos convencionais, com efeitos colaterais minimizados e até redução dos custos. A cura por meio das plantas, ou fitoterapia traz muitas vantagens, mas como qualquer medicamento tem restrição de uso, tem risco e benefícios e por isso é necessário acompanhamento médico. Plantas aparentemente inofensivas e utilizadas como medicamento, são comprovadamente perigosas dependendo da forma como são administradas.
Luís Carlos Marques, especialista em Fitoterapia, mestre em Botânica e doutor em Ciências, em entrevista para o site: comciencia.br/reportagens/fito/fito8.htm, diz:


Devem adquirir apenas produtos que conhecem bem e que são de fato tradicionais, como por exemplo boldo, camomila, erva-doce e malva. Os consumidores devem evitar novidades mercadológicas que envolvem plantas pouco conhecidas no Brasil. Os consumidores devem evitar novidades mercadológicas que envolvem plantas pouco conhecidas no Brasil, como por exemplo a unha de gato, a garra do diabo e a garcínia, entre outras. Também devem adquirir produtos com as plantas inteiras, que possam ser vistas e avaliadas. Quando o produto vem em pó, é muito difícil distinguí-lo de seus adulterantes. As formas líquidas, por experiência, sabe-se que não são avaliadas em termos de qualidade, salvo raríssimas exceções.

E esse trecho da entrevista de Marques resume o papel valioso dos medicamentos fitoterápicos, mas destaca a importância de conhecer os efeitos, eficácia e o procedimento do medicamento.
Há um enorme potencial na flora do Brasil, porém não há estrutura cultural entre os cientistas e indústrias para gerar pesquisas e colocá-las à disposição da população. O governo deve investir em pesquisas e produção de matérias-primas. É importante para todos o desenvolvimentos de medicamentos naturais, que auxiliam na cura de várias doenças, com efeito colaterais minimizados e em geral com custo mais baixo.

Bibliografia
http://www.sitecurupira.com.br/terapias/terapia_alt_fitoterapia.htm
http://www.anvisa.gov.br/medicamentos/fitoterapicos/definicao.htm
http://www.universia.com.br/materia/materia.jsp?id=2114
http://www.comciencia.br/reportagens/fito/fito8.htm

Cema




Para desenvolvermos este trabalho, fizemos uma visita ao CENTRO DE MEDICINA ALTERNATIVA (CEMA), localizado na área do Hospital Regional de Planaltina DF.

Conversamos com o Dr. Cláudio Werneck, gerente do CEMA. O mesmo nos informou a importância e os benefícios do trabalho aqui desenvolvido para a comunidade, com a manipulação de medicamentos fitoterápicos. Tivemos a oportunidade de conhecer o cultivo de algumas plantas, onde tiramos algumas fotos, conforme em anexo.

Secadora


Em nossa visita ao Centro de Medicina Alternativa de Planaltina tiramos fotos da secadora de plantas. A secadora mantém a temperatura uniforme de 56° C, o que assegura um produto final uniforme e de alta qualidade.

PROGRAMA DE RECEITA!

Fitoterapia?

terça-feira, 17 de Novembro de 2009

Canteiro em forma de Mandala




Trata-se de um jardim de círculos concêntricos que respeitam a agricultura ecológica. "Um dos seus princípios é: copie o desenho da natureza. Como nela tudo é arredondado, os canteiros retos foram reformulados".

tem um tanque de irrigação no centro. Por meio de linhas de drenagem, a água escorre para o meio e é recaptada para o sistema. "Na agricultura convencional, a água é barrada para evitar a erosão do solo",

domingo, 4 de Outubro de 2009

O poder da planta mil-em-ramas.


A cura por meio das plantas ou fitoterapia, passa da boca do povo para os livros e mentes de pesquisadores. O nosso grupo de fitoterapia pretende postar algumas dicas e receitas caseiras feita com elementos naturais.

Gripe
Gripe ou influenza é uma das doenças mais comuns no mundo e é muito contagiosa. Quando um pessoa tosse ou espirra, contamina o ar com os vírus causadores da doença.
Tem sintomas semelhantes ao refriado, mas, é mais grave. Os pricipaís sintomas da gripe são dores musculares, tosse, corrimento nasal, dor de garganta, dores de cabeça, febre alta e o lacrimejamento. As complicações mais comuns da gripe são as bronquites e as pneumonias.
A gripe não tem tratamento específico; é importante que o doente fique em repouso e agasalhado, quando não tem febre. Tomar bastante água e suco natural de limão, que é rico em vitamina "C". O uso de medicamentos, mesmo antitérmico ou xarope de farmácia, só com prescrição médica. Pode se fazer uso de chás ou xaropes caseiros, fabricados a partir de plantas antigripais e antitérmico.
Receita Caseira
Ingredientes
1 Copo de açúcar ou rapadura raspada;
1 copo de água
1 colher (sopa) de álcool de cereais ou 2 colheres (sopa) de cachaça
1 punhado de guaco
1 punhado de hortelã gorda
1 punhado de mil-em-ramas
Modo de farzer
Coloca numa panela o açúcar e a água. Mexer até que o açúcar derreta. Quando ferver, abaixe o fogo e acrescente as ervas, previamente limpas e cortadas, misturando bem. Tampe a panela e deixe ferver em forno brando por 10 minutos. Apague o fogo e só abra a panela após esfriar. Coe em seguida numa paneira com um pano branco e limpo, em vasilhame limpo e seco. Depois acrecente o álcool e ou a bebida destilada, e misture bem. Despeje em frascos lipos e secos. Identifique com um rótulo.
Modo de usar
Adulto: 1 colher de sopa até 6 vezes ao dia
Crianças menores: 1 colher (chá) até 6 vezes ao dia
Crianças maiores: 1 colher (sobremesa) até 6 vezes ao dia.


Esse texto foi retirado e adpatado de um folheto escrito por Maria do Rósario Fátima Lamounier, Agente de Saúde Pública do CeMA.